TIAGO PONTES
PSICÓLOGO NA VILA CLEMENTINO

Psicoterapia para Crianças, Adolescentes e Adultos.
Consultório na Rua Dr. Diogo de Faria, 984.

Psicoterapia: afinal, do que se trata?

Não se pode criar experiência. É preciso passar por ela.”

Albert Camus

Como bem pontuou o “filósofo do absurdo, devemos levar em consideração que nossas experiências são de suma importância para que nos tornemos mais maduros; entretanto, estas mesmas experiências, muitas vezes, nos deixam incapacitados para continuarmos nossa jornada. Neste momento, o auxílio de um profissional se mostra essencial para que possamos entender o que sentimos. A psicoterapia torna-se um processo essencial para que as questões que tornam a vida de um indivíduo mais difícil possam ser decifradas e melhor compreendidas. Através do que chamamos de “escuta psicológica”, o psicoterapeuta tem como objetivo entender o que está por trás do que o paciente sente, o que, por muitas vezes, pode ocorrer através da manifestação de sintomas como: laços afetivos pouco sadios, dificuldades na tomada de decisão, fobias, ansiedade, entre outros.

Psicoterapia para Adultos

Para o paciente que esteja disposto a “mergulhar” em seu âmago, realizando uma imersão em suas questões mais profundas. Sendo a psicoterapia uma das ferramentas para a investigação do sofrimento humano, faz-se necessária uma minuciosa pesquisa no mundo interno dos que almejam o autoconhecimento. Não há um tempo limite para o tratamento, sendo este discutido e avaliado entre analista e paciente.

Psicoterapia para Adolescentes

Assim como a psicoterapia para adultos, esta modalidade também é voltada para pacientes que necessitam de uma imersão mais profunda em suas questões. O que diferencia esta modalidade da convencional – para adultos – é que o jovem demanda uma escuta mais específica.
O profissional precisa ter um acolhimento mais atento ao contexto em que vive o adolescente, quais são as motivações que o levaram à terapia e como é sua relação com seus pais e/ou responsáveis.
Na maioria das vezes é importante que, juntamente com a terapia, ocorra orientação aos pais.

Psicoterapia para Crianças

Assim como as duas outras modalidades de psicoterapia, o atendimento para crianças tem suas peculiaridades. Na maioria das vezes, sobretudo crianças com menos de 5 anos, faz-se necessária a utilização de técnicas lúdicas (ludoterapia). A inserção de outras ferramentas para o manejo clínico com crianças é de suma importância para um bom andamento da sessão de terapia, desempenhando um papel fundamental para o entendimento do sofrimento psíquico da criança.

Psicoterapia Breve Operacionalizada

Um tipo de psicoterapia voltada para casos que indicam um tratamento mais específico. Muitas vezes, nos deparamos com “situações-problema” muito pontuais, que dizem respeito a uma tomada de decisão (normalmente respostas que exijam um “sim ou um “não”).
Neste caso, opta-se por este tipo de terapia, que é realizada em até 20 sessões, com planejamento e objetivo determinados no início do tratamento. A meta principal desta modalidade de psicoterapia é ajudar o individuo a lidar com situações tidas como adaptativas, questões cruciais que a vida nos apresenta e como respondemos: de forma satisfatória ou não.

Orientação Profissional

Realizada em sessões de 50 minutos, o objetivo da orientação profissional é de auxiliar o indivíduo a lidar com questões relacionadas, como o próprio nome sugere, à vida profissional. Nesta modalidade, é de suma importância que haja um entendimento, por parte do terapeuta e do paciente, de que o problema está relacionado à carreira. Questões típicas e que surgem com frequência neste tipo de trabalho: um profissional que não sabe se deve continuar em uma empresa; se deve mudar de profissão; uma mudança de cidade por conta de uma oportunidade de emprego; ou o jovem que ainda não se decidiu sobre qual profissão deve optar. Todas estas são questões que podem ser tratadas em orientação com psicólogo.

Atendimento Organizacional / Institucional

Atendimento psicológico dentro de empresas e instituições é uma forma de levar saúde mental para o âmbito das relações organizacionais. Através das mais variadas ferramentas, tais como terapia individual, terapia em grupo e/ou palestras, o trabalho nestes espaços tem como principal objetivo melhorar as condições psicológicas de todos os envolvidos no ambiente profissional. Após um diagnóstico institucional, desenvolve-se o melhor plano estratégico de trabalho que contemple as demandas surgidas no ambiente em questão. Pontos como desempenho, qualidade do trabalho e assertividade podem ser trabalhados, discutidos e modificados com este tipo de atendimento.

Para quem a
psicoterapia é recomendada?

Em principio, podemos dizer que a psicoterapia é para todos aqueles que gostariam de passar por um processo de autoconhecimento. Muitas são as formas utilizadas pela humanidade para o famoso “conhece-te a ti mesmo”. Religião, esportes, artes, etc… Dentre as modalidades disponíveis, temos a psicoterapia. O processo psicoterápico é um momento de busca pela saúde mental. Sendo assim, se há disponibilidade, coragem e o desejo de reconhecer seus próprios conflitos e, muitas vezes, descobrir algumas pistas sobre como resolve-los, sim, você está apto a realizar psicoterapia.

Para quem a
psicoterapia NÃO é recomendada?

Existem alguns pontos que poderiam apontar se uma pessoa tem ou não indicação para fazer psicoterapia, porém estes aspectos precisam ser analisados de forma criteriosa em um momento que precede a psicoterapia propriamente dita: entrevistas iniciais. Este momento é de suma importância para entendermos que tipo de demanda o aspirante à análise traz consigo. Como existem outras modalidades de atendimento, não nos parece adequado pontuar de forma objetiva quais seriam tais contra-indicações, uma vez que o atendimento é aberto a todos e existem outras formas de atendimentos além da própria psicoterapia.

Palestras / Rodas de Conversa

Desempenho, liderança, tecnologia, vocação, stress, relacionamentos no ambiente profissional, assédio moral, entre outros. Todos estes são temas presentes no nosso cotidiano e que podem (e devem) ser debatidos. Através de apresentações que têm como pano de fundo o pensamento de estudiosos do comportamento humano das mais variadas áreas do saber, proponho o debate em empresas, escolas, clubes e outros espaços de convivência. Muitos são os dilemas que podem ser pensados de forma mais profunda e, através de palestras e rodas de conversa, proponho um espaço de reflexão que, em muitas ocasiões, tornam-se o início de um processo de busca por autoconhecimento.

Grupo de orientação: pais, filhos e novas configurações familiares.

O mundo contemporâneo nos permite vivenciar inúmeras mudanças nos mais variados segmentos. Tais mudanças causam efeitos imediatos nas formas como nos comportamos, nos enxergamos como indivíduos e em nossas relações. Com o objetivo de propor reflexões acerca destas mudanças, proponho grupos de orientação. Não há assunto que não possa ser debatido nestes encontros, pois o foco destes debates é sempre o melhor entendimento do papel dos pais no século XXI e das novas formas de convivência em família.

Grupos de Orientação: Pais

Quando descobre-se que uma criança chegará, muitas são as pessoas que se enxergam como incapazes de lidar com esta responsabilidade. Após a chegada do tão sonhado filho, os conflitos que antes eram apenas parte da fantasia, tornam-se realidade. Perguntas sobre a capacidade de lidar com a educação, suporte financeiro ou até mesmo sobre o amor, acabam tonando-se parte do cotidiano dos pais, que pouco podem fazer sobre esses dilemas. Para auxiliar nestas questões, o grupo de orientação visa propor uma reflexão acerca destes conflitos.

Onde podem ocorrer? Estas orientações podem acontecer em associações de moradores, escolas, empresas, etc.

Grupos de Orientação: Adolescentes

Um dos períodos mais complexos da vida humana é a adolescência. Bombardeados por questões que parecem, em muitas vezes, ser determinantes para o resto de suas vidas, os jovens sentem-se incapazes de encontrar um “espaço no mundo” que lhes seja adequado. Sexo, profissão, relacionamentos, amor, todos estes temas fazem parte dos conflitos típicos do período que precede a entrada no mundo adulto. A orientação em grupo, intermediada por um psicólogo, é de extrema importância para que o adolescente possa dar voz aos seus mais profundos conflitos.

Onde podem ocorrer? As orientações podem ocorrer nos mais variados espaços de convívio, tais como escolas, clubes, igrejas, ONG’s.

BLOG
PSICOLOGIA E FILOSOFIA

Você também fracassará em 2021

Vai passar?

Tiago Pontes
CRP: 06/123352

Sobre

Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, despertou o interesse pela Psicologia após descobrir a filosofia. Em seus questionamentos existenciais, deparou-se com autores como Freud, Nietzsche, Schopenhauer, Heidegger, Camus, Aristóteles, entre outros que o levaram a busca pelo entendimento da alma humana.
Atuou na área social por mais de seis anos, tendo desenvolvido inúmeros projetos. Criou e coordenou o projeto “CHÁ COM AS CINCO”, que consiste em realizar pequenas reuniões socioeducativas nas casas das famílias em alta vulnerabilidade social. Também criou e coordenou o projeto “TRAMPO ALI!”, uma consultoria popular para o mercado de trabalho, que consiste em orientar e encaminhar cidadãos em alta vulnerabilidade social que estejam desempregados. Atua na área clínica, atendendo,em consultório particular, crianças, jovens, adolescentes, adultos, casais e grupos. A experiência na área social foi de suma importância para que pudesse entender melhor a clínica, tendo o seu consultório sofrido diretamente a influência desta bagagem. Tem formação em Psicoterapia Breve Operacionalizada, modalidade esta que visa o atendimento de indivíduos em “situações conflituosas específicas” e que requerem um atendimento mais pontual. Atua, além disso, com atendimentos por videoconferência, acolhendo as novas demandas da contemporaneidade e facilitando o acesso à terapia por pessoas que não possam se deslocar ao consultório, seja por residirem em outras cidades ou por limitações físicas (pessoas com dificuldades de locomoção). Também atua como Acompanhante Terapêutico, atendimento este focado no atendimento ao paciente no contexto social (domicílio, espaços públicos, trabalho, etc). Por fim, realiza consultorias e palestras nos mais variados espaços, discutindo temas de importância para a compreensão dos fenômenos existentes na sociedade.

Agende uma consulta

Preencha o formulário abaixo ou, se preferir,
entre em contato diretamente pelo telefone ou e-mail.


Telefone
(11) 98485-9557

E-mail
contato@psicologotiagopontes.com.br

Endereço de Atendimento 1
Rua Doutor Diogo de Faria, 984
Vila Clementino – São Paulo – SP
CEP 04037-003

Endereço de Atendimento 2
R Peri, 206
Osvaldo Cruz-São Caetano do Sul-SP
CEP 09540-290


2019 © Todos os direitos reservados.
Psicólogo na Vila Clementino

Site Elaborado pela
Klick Saudável – Sites para Profissionais da Saúde